Rinite Alérgica – Sintomas e tratamentos

mulher sofrendo de rinite alergica

A rinite alérgica é uma inflamação na mucosa do nariz causada por reações exageradas do sistema de defesa do organismo. Apesar de não ser uma doença grave leva a um impacto importante na qualidade de vida podendo inclusive levar a absenteísmo no trabalho ou escola e perda de produtividade.

Os principais sintomas são a obstrução nasal, a coriza (secreção clara), espirros, coceira no nariz. Pode estar associada a conjuntivite alérgica (coceira ocular, lacrimejamento), asma e dermatite atópica. Sua relação com a asma é de extrema importância pois uma rinite mal controlada pode desencadear crises de asma. 

O diagnóstico se dá pela chamada anamnese, que são as perguntas feitas pelo médico, e pelo exame físico. Desta forma podemos identificar a gravidade da rinite e classificar entre intermitente e persistente. Testes alérgicos no sangue ou na pele podem ser realizados para auxiliar no tratamento.

Classificação da rinite:

rinite alergica classificacao
Rinite Alérgica - Sintomas e tratamentos 2

Classificação de rinite alergica segundo a iniciativa Allergic Rhinitis and ts Impact o Asthma

O ponto principal do tratamento é a higiene ambiental que inclui:

  • Evitar lugares com poeira, mofo, jornais e livros guardados;
  • Evitar usar vassoura e espanador no quarto de dormir. Para limpeza, usar pano úmido com água.
  • No caso de o próprio paciente ter que fazer a limpeza dos cômodos, pode-se optar por uso de máscaras;
  • Evitar produtos de limpeza com cheiro forte e muito perfume, assim como amaciante de roupas;
  • Evitar ao máximo uso de ventilador. Em caso de necessidade, limpar sempre as hélices com pano úmido, nunca recebendo o vento diretamente no rosto, mesmo que à distância. Abolir os ventiladores de teto pela maior dificuldade de limpeza adequada;
  • Em caso de ar-condicionado, nunca pôr a corrente de ar diretamente para o paciente, tendo sempre cuidado de evitar que fique muito frio. Limpeza do filtro semanalmente e uma limpeza interna a cada 6 meses;
  • Remover do quarto objetos de decoração que acumulam poeira, como bichos de pelúcia, bibelôs, porta-retratos, livros e tapetes. Limpar os móveis diariamente com pano úmido.
  • Optar por cortinas tipo persiana. Em caso de cortinas de tecido, lavá-las semanalmente;
  • Trocar a roupa de cama a cada 2 dias e lavá-las com água quente;
  • Virar o lado do colchão semanalmente;
  • Forrar o colchão e o travesseiro com material anti-alérgico;
  • Em caso de mosqueteiro, lavá-lo a cada dois dias;
  • Evitar alimentos com corantes e conservantes;
  • Manter ambiente arejado e com entrada de luz solar;
  • Evitar fumaça de cigarro, charutos, etc. assim como evitar exposição à fumaça;
  • Evitar banho frio logo ao acordar, assim como evitar pôr os pés no chão frio sem meia ao acordar;
  • Nunca dormir de cabelos molhados.

A lavagem nasal com solução fisiológica é outro ponto fundamental do tratamento.

O tratamento medicamentoso leva em consideração a classificação da rinite. E pode incluir a associação de medicamentos e ajuste de medicações conforme a resposta ao tratamento. A rinite alérgica não tem cura, mas tem como controlar as crises e reduzir o impacto na qualidade de vida.

Há a ainda a possibilidade de imunoterapia que pode levar a um controle mais prolongado da rinite alérgica.

A cirurgia é um tratamento possível, mas não é voltado para a rinite alérgica diretamente, a septoplastia (correção de desvio de septo) e a turbinectomia ( correção do aumento dos cornetos) são importantes na restauração da passagem nasal com a redução do edema da mucosa.

Importante procurar seu médico para tratamento da rinite e assim melhorar a qualidade de vida.

por admraquelcoelhowp
13 outubro, 2022

Contatos e Locais de Atendimento

Instituto de Otorrino

   River Shopping - Estação Saúde    1º andar - Centro, Petrolina-PE

Marcação Instituto

HGU: CENPRE

Rua Dr. Geraldo Estrela
Petrolina/PE

Marcação HGU

(87) 3866.8282

YouTube

Drª Raquel Coelho

Instagram

@draraquelcoelho.otorrino

Facebook

/draraquelcoelho.otorrino